Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Para aceitar o uso de cookies basta continuar a navegar no website. Para mais informação consulte a nossa política de privacidade e de utilização de cookies.

OK

Espectáculos

de Gil Vicente . Classificação CCE M/12

Começa a declaração e argumento da obra. Primeiramente, no presente auto, se figura que, no ponto que acabamos de expiar, chegamos subitamente a um rio, o qual per força havemos de passar em um de dois batéis que naquele porto estão, scilicet, um deles pera o Paraíso, e o outro pera o Inferno, os quais batéis tem cada um seu arrais na proa: o do Paraíso um Anjo e o do Inferno um Arrais infernal e um Companheiro.

cit. Auto da Barca do Inferno, Gil Vicente

Espelho de Portugal de 500

Espetáculo burlesco onde a junção das artes circenses, da dança, canto e interpretação, tem sido o segredo do seu êxito.

O “Auto da Barca do Inferno” é uma peça de riqueza excecional, desenrolando-se em vários planos e dilatando-se em várias dimensões. É uma evocação de certos tipos sociais do Portugal quinhentista, que ainda hoje se mantêm atuais.

É também uma sátira feroz contra os grandes e os poderosos, não poupando os pecadores de condição mais modesta. Ao mesmo tempo que é uma meditação terrificante sobre os mistérios do «Além», é uma peça de franca comicidade.

A encenação criou um espetáculo divertido e apelativo, sendo um dos momentos altos a interatividade com o público, o que provoca grande entusiasmo na assistência.

FICHA TÉCNICA

  • Encenação:
    Ruy Pessoa
  • Assistência de encenação:
    Rodrigo Marques
  • Coreografia (luta de esgrima):
    Mestre Eugénio Roque
  • Luminotecnia e Sonoplastia:
    Paulo Santos & Vitor Santos
  • Contrarregra:
    Ana Vala
  • Cenário:
    Jeanette Christian; Cláudia Guerreiro; Ruy Pessoa
  • Serralharia:
    Luís Pessoa
  • Figurinos:
    Ruy Pessoa
  • Costureira:
    Donzília Faria, Eulália Matos
  • Produção:
    Mirian Azeredo, Susana Rato

 

ELENCO

  • Silvia Guerreiro
    Companheiro do Diabo, Brízida Vaz, Florença - moça do Frade
  • Rogério Costa
    Onzeneiro, Sapateiro, Frade, Procurador, Cavaleiro
  • Rafael Ascensão
    Diabo
  • Daniel Guerreiro
    Fidalgo, Judeu, Corregedor, Cavaleiro
  • Nelson Dias
    Aio do Fidalgo, Enforcado, Joane - Parvo
  • Patrícia Teixeira
    Anjo

OUTROS ESPETÁCULOS

Aquilo que os Olhos veem ou o Adamastor

de Manuel António Pina

Aquilo que os olhos veem ou o Adamastor

saber mais

de Alice Vieira

Leandro, Rei da Helíria

saber mais
Farsa de Inês Pereira

de Gil Vicente

Farsa de Inês Pereira

saber mais

APOIOS

Instituto Português do Desporto e da Juventude
Casa dos Direitos Sociais
Espaço LX Jovem
Câmara Municipal de Lisboa
Marilina Tinta
JGF
Sanitana
Amadeu & Rocha
Minabel
A&M Leilões
Nomalism