Este website utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Para aceitar o uso de cookies basta continuar a navegar no website. Para mais informação consulte a nossa política de privacidade e de utilização de cookies.

OK

Espectáculos

de Gil Vicente . Classificação CCE M/12

Começa a declaração e argumento da obra. Primeiramente, no presente auto, se figura que, no ponto que acabamos de expiar, chegamos subitamente a um rio, o qual per força havemos de passar em um de dois batéis que naquele porto estão, scilicet, um deles pera o Paraíso, e o outro pera o Inferno, os quais batéis tem cada um seu arrais na proa: o do Paraíso um Anjo e o do Inferno um Arrais infernal e um Companheiro.

cit. Auto da Barca do Inferno, Gil Vicente

Espelho de Portugal de 500

Espetáculo burlesco onde a junção das artes circenses, da dança, canto e interpretação, tem sido o segredo do seu êxito.

O “Auto da Barca do Inferno” é uma peça de riqueza excecional, desenrolando-se em vários planos e dilatando-se em várias dimensões. É uma evocação de certos tipos sociais do Portugal quinhentista, que ainda hoje se mantêm atuais.

É também uma sátira feroz contra os grandes e os poderosos, não poupando os pecadores de condição mais modesta. Ao mesmo tempo que é uma meditação terrificante sobre os mistérios do «Além», é uma peça de franca comicidade.

A encenação criou um espetáculo divertido e apelativo, sendo um dos momentos altos a interatividade com o público, o que provoca grande entusiasmo na assistência.

FICHA TÉCNICA

  • Encenação:
    Ruy Pessoa
  • Assistência de encenação:
    Rodrigo Marques
  • Coreografia (luta de esgrima):
    Mestre Eugénio Roque
  • Luminotecnia e Sonoplastia:
    Paulo Santos & Vitor Santos
  • Contrarregra:
    Vania Dinis
  • Cenário:
    Jeanette Christian; Cláudia Guerreiro; Ruy Pessoa
  • Serralharia:
    Luís Pessoa
  • Figurinos:
    Ruy Pessoa
  • Costureira:
    Donzília Faria, Eulália Matos
  • Produção:
    Mirian Azeredo, Susana Rato

 

ELENCO

  • Silvia Guerreiro
    Companheiro do Diabo, Brízida Vaz, Florença - moça do Frade
  • Rogério Costa
    Onzeneiro, Sapateiro, Frade, Procurador, Cavaleiro
  • Rafael Ascensão
    Diabo
  • Daniel Guerreiro
    Fidalgo, Judeu, Corregedor, Cavaleiro
  • Nelson Dias
    Aio do Fidalgo, Enforcado, Joane - Parvo
  • Patrícia Teixeira
    Anjo

OUTROS ESPETÁCULOS

Aquilo que os Olhos veem ou o Adamastor

de Manuel António Pina

Aquilo que os olhos veem ou o Adamastor

saber mais

de Alice Vieira

Leandro, Rei da Helíria

saber mais
Farsa de Inês Pereira

de Gil Vicente

Farsa de Inês Pereira

saber mais

APOIOS

Instituto Português da Juventude
Casa dos Direitos Sociais
Delta
Espaço LX Jovem
Câmara Municipal de Lisboa
Marilina Tinta
JGF
Sanitana
Amadeu & Rocha
Minabel
A&M Leilões
Nomalism